26 de junho de 2014

Yayoi Kusama - Obsessão infinita

Sei que to em falta aqui no blog, e nem vou explicar o motivo porque hoje vim falar de bolinhas. kkk Tive conhecimento sobre a exposição por um amigo meu e logo fiquei encantada só pelas fotos. Pensei: eu PRECISO ir, e enfim ontem eu dei uma passadinha lá no Instituto Tomie Ohtake.

Primeiro vou falar da exposição: segundo o seite do Instituto: Com curadoria de Philip Larratt-Smith e Frances Morris, a exposição reúne pinturas, esculturas, vídeos, trabalhos em papel e grandes instalações de Yayoi Kusama, oferecendo um extenso panorama do trabalho de uma das artistas mais inventivas do pós-guerra. 

A exposição fica próximo ao metrô faria lima (via 4 amarela) saia da estação e vire a direita, ande.. ande.. ande e ande. O endereço é Rua Coropés, 88 - Pinheiros, São Paulo

DE 22 MAIO A 27 JULHO 2014 
Programe-se!

Em função do jogo do Brasil, no próximo sábado, dia 28 de junho, o Instituto Tomie Ohtake estará fechado. No domingo, dia 29 de junho, funcionará das 9 às 20 horas.

Obra "Filled with the Brilliance of Life" (2011)
Uma sala composta por espelhos e inúmeras lâmpadas penduradas, que vão mudando de cor, impressiona os visitantes. Essa é uma das obras que o pessoal mais gosta de tirar fotos, então pra chegar até o "quarto dos espelhos" demora um pouquinho, porém nada eterno. O ambiente tem espelhos e no chão a luz é refletida por água, é muito curioso e fascinante.



Essa sala é composta por móveis brancos e assim que cada visitante entra recebe uma cartela com alguns adesivos (de bolinhas, é claro) para preencher o espaço e colori-lo. Ao fim os participantes devem devolver a mesma completamente vazia. Achei muito legal a ideia, fiquei curiosa pra saber como era antes de todos os adesivos.




"Infinity Mirror Room - Phalli's Field" (1965)

Mais uma vez, o interesse pelo infinito e a técnica de usar espelhos por todo lado fazem desta sala impressionante. Porém, são os objetos fálicos que ganham destaque e parecem se espalhar, como um enorme jardim. Suas famosas bolinhas vermelhas estampam as peças.



"I'm Here, But Nothing" (2000-2012)

Neste ambiente é apresentada uma sala de estar completamente comum, com móveis como sofá e mesa de jantar, mas totalmente coberta por pontos de luz fluorescentes coloridos. O ambiente permite que o visitante veja a obra sem os limites da tela, onde todas as paredes, objetos e piso carregam parte da transcendência da obra.



Vale muito a pena conferir, eu adorei 

Nenhum comentário:

Postar um comentário